Cirurgia Ortognática:

Realize o sonho da sua Ortognática com rápida recuperação alta tecnologia

Conheça os benefícios da cirurgia ortognática

Estética, respiração e mordida

Porque todos merecem respirar bem, morder bem e sentir-se bem

Respire melhor
A ortognática amplia as vias aéreas fazendo com que o ar passe mais facilmente
Ame tirar fotos
Nada mais de ficar disfarçando ou procurando ângulos nas fotos. Tenha o perfil facial dos seus sonhos.
Que tal morder um hamburger?
Tenha segurança ao morder qualquer alimento. Nada mais de comer o hamburger e vir só o alface.
Fique à vontade para sorrir
Colocar a mão na boca ao sorrir? Nunca mais.
O espelho será seu melhor amigo
Sua auto estima vai parar nas alturas
Seja mais produtivo
Ser improdutivo por não ter dormido bem devido apneia nunca mais
Tenha o rosto simétrico
Queixo torto? A ortognática resolve
Previous slide
Next slide

A ortognática é uma cirurgia realizada inteiramente por dentro da boca, sem cicatrizes visíveis e coberta por qualquer plano de saúde com cobertura hospitalar. O principal objetivo do procedimento é corrigir a mordida e posicionar os maxilares de tal forma que resultem na melhor estética facial possível.

Dentre as indicações, podemos destacar: queixo pequeno, queixo grande, queixo torto, excesso de gengiva no sorriso ou mostrar pouco os dentes ao sorrir.

O que é a cirurgia ortognática?

Mordida ideal e estética facial com um só procedimento

Cirurgia que corrige a posição dos maxilares

O que é a cirurgia ortognática?

Mordida ideal e estética facial com um só procedimento

Cirurgia que corrige a posição dos maxilares

A ortognática é uma cirurgia realizada inteiramente por dentro da boca, sem cicatrizes visíveis e coberta por qualquer plano de saúde com cobertura hospitalar. O principal objetivo do procedimento é corrigir a mordida e posicionar os maxilares de tal forma que resultem na melhor estética facial possível.

Dentre as indicações, podemos destacar: queixo pequeno, queixo grande, queixo torto, excesso de gengiva no sorriso ou mostrar pouco os dentes ao sorrir.

Para quem é essa cirurgia?

Queixo pequeno, queixo grande ou queixo torto

Não importa se é pelo excesso ou falta de crescimento,

a cirurgia ortognática resolve

Queixo
grande

Conhecido também como prognatismo mandibular, ocorre devido o crescimento excessivo da mandíbula

Queixo pequeno

Também chamado de retrognatismo mandibular, ocorre devido o crescimento deficiente da mandíbula

Queixo
torto

A assimetria facial pode acontecer em decorrência do crescimento excessivo ou deficiente da mandíbula

Sorriso gengival

O excesso de crescimento da maxila no sentido vertical leva a exposição excessiva de gengiva no sorriso

Vantagens da cirurgia ortognática

Sobre mim

Especialista em Cirurgia Bucomaxilofacial, com residência no Hospital Universitário da USP-SP e mestrando em Cirurgia Bucomaxilofacial pela Faculdade São Leopoldo Mandic.

Durante a residência, estive imerso no ambiente hospitalar durante 3 anos (aproximadamente 9 mil horas), onde me dediquei exclusivamente e pude me aprofundar no tratamento de pacientes com deformidades dentofaciais. Tive a oportunidade de aprender com alguns dos grandes nomes da cirurgia nacional e internacional.

Continuo dando sequência na busca e aprofundamento do conhecimento, e iniciei o mestrado em Cirurgia Bucomaxilofacial, o qual tem ênfase de estudos na área de deformidade dentofacial.
Além da cirurgia ortognática, atuo também nas áreas de disfunções temporomandibulares, implantes dentários, diagnóstico e tratamento das lesões da boca, reconstruções faciais, entre outras.

Dr. Rômulo Fischer

Cirurgião Bucomaxilofacial 

Depoimentos

Dúvidas Frequentes Sobre a Ortognática (FAQ)

É uma cirurgia que tem como objetivo a melhora da estética facial e o correto encaixe dos dentes, que são obtidos através do reposicionamento dos maxilares (maxila e mandíbula).

Não. Esse é um procedimento considerado estético-funcional, pois além da melhora estética, pode promover melhoras funcionais como a mastigação e respiração.

Sim, todos os convênios de segmentação hospitalar devem cobrir a cirurgia ortognática, segundo a Resolução Normativa Nº 428 da ANS (órgão que regula os planos de saúde no Brasil).

Essa cirurgia é indicada para as pessoas que possuem alterações na posição dos maxilares, como por exemplo: o queixo muito para trás ou muito para frente; excesso de exposição da gengiva no sorriso ou a falta de exposição dos dentes; o queixo desviado para um dos lados; os dentes que não encaixam corretamente. Excesso ou deficiência no crescimento dos maxilares são as indicações mais frequentes dessa cirurgia.

Sim, a ortognática é um dos tratamentos realizados para a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), com benefícios permanentes.

Os principais benefícios da ortognática são: estéticos (promove harmonização facial definitiva); funcionais (melhora da mastigação, respiração e da fala); psicológicos (aumento da autoestima em reflexo aos benefícios citados anteriormente).

A ortognática é realizada preferencialmente após a fase de crescimento, que normalmente varia entre 17 e 19 anos.

Sim, é possível realizar totalmente particular. Mas não recomendo, já que é um procedimento coberto pelos convênios médicos hospitalares. 

Essa cirurgia, assim como tantas outras realizadas na face, é executada pelo cirurgião bucomaxilofacial.

O procedimento é realizado no hospital, sob anestesia geral.

A cirurgia é realizada totalmente por dentro da boca, onde são feitos cortes nos ossos da mandíbula e maxila, em seguida são reposicionados e fixados com placas e parafusos de titânio.

Depende da complexidade do caso, mas geralmente varia entre 2:30h até 5h de cirurgia.

Em média após 20 dias de cirurgia a maioria dos pacientes já estão aptos a retornar ao trabalho. Mas isso varia de acordo com a cirurgia e o ramo de atividade do paciente.

Sim, na grande maioria dos casos é necessário realizar o que chamamos de preparo ortodôntico pré-cirúrgico. Contudo, há algumas exceções. 

O tempo necessário para realizar a cirurgia basicamente depende do preparo ortodôntico pré-cirúrgico, que normalmente varia entre 6 meses e 1 ano.

Geralmente 80 – 90% do inchaço regride nos primeiros 20 a 30 dias pós-operatórios. O restante, regride gradualmente até por volta do 6º mês.

Os primeiros 7 – 10 dias pós-operatórios devem ser acompanhados de dieta líquida/pastosa, com aumento progressivo da consistência dos alimentos.

 

Sopas, vitaminas, purês, carne de peixe e outros alimentos dessa consistência são boas opções.

Sim, é possível realizar a rinoplastia no mesmo tempo cirúrgico que a ortognática.

Essa é uma pergunta frequente, mas a resposta é sempre – depende.

 

Depende do hospital à ser realizado, do material utilizado, da equipe cirúrgica… Enfim, são vários os fatores.

 

Mas em geral, pode variar entre 50 e mais de 100 mil reais.

 

Por isso, sempre recomendo a aquisição de um convênio médico previamente a cirurgia.

Não. A cirurgia ortognática não tem como objetivo a correção desses estalos que podem ser causados por uma disfunção da articulação temporomandibular. Contudo, há alguns pacientes que melhoram dos sintomas após o procedimento.

Assim como qualquer procedimento cirúrgico a ortognática tem seus riscos, contudo, com taxas muito baixas de complicações. 

 

Dentre os possíveis riscos, os mais frequentes são: a perda de sensibilidade em alguma região do lábio inferior e queixo; traumas no lábio e língua; fraturas indesejadas que geralmente são resolvidas durante a cirurgia.

Sim, todas as consultas são cobrados os honorários, que podem ser cobertos parcial ou totalmente pelo reembolso do convênio.

Tire suas dúvidas

Vamos conversar?

Dr. Rômulo Fischer

Cirurgião Bucomaxilofacial (USP-SP)

CRO-SP 125887

Contatos

(11) 96983-0473

Endereço

Endereço I: Torre II – Av. Dr. Chucri Zaidan, 940 – 3° andar – Vila Cordeiro, São Paulo – SP, 04583-110

Endereço II: R. Vilela, 665 – 8º Andar – Tatuapé, São Paulo

Instagram

Dr. Rômulo Fischer. Todos os direitos reservados.

Como posso te ajudar?